—>
Carregando Carregando

Deflexor 2033. Future Macrotrends Map

  • IEDentity
  • "Cenários do futuro"
  • Número 01 - 28 de fevereiro de 2018
Alessandro Manetti
  • Alessandro Manetti

Em um contexto de mudanças e de constante evolução, Alessandro Manetti apresenta o Deflexor 2033, uma bússola que orienta um mapa de macro e microtendências, capaz de responder aos atuais desafios do mundo que habitamos. Deflexor nasce com a vocação de ser uma ferramenta imprescindível para a concepção de projetos que darão forma ao amanhã através do design thinking.


Deflexor 2033 é um mapa de macrotendências do futuro, desenvolvido para auxiliar a aplicação do design em diferentes cenários. Concebido como uma bússola global e dinâmica, o projeto é o resultado da pesquisa acadêmica contínua levada a cabo pelo IED Barcelona nos últimos dez anos. A ferramenta tem como objetivo facilitar o uso de insights de macrotendências pelas instituições vinculadas ao ensino do design, por meio de projetos acadêmicos que serão desenvolvidos pelos estudantes durante os próximos quinze anos.

O mapa é composto de três elementos propulsores de megatendências, 12 macrotendências e uma constelação com diferentes exemplos de microtendências. Os três drivers são os aspectos de transformação em escala global que desde o início da civilização tiveram um papel relevante nas mudanças em cada período da história da humanidade: a demografia, a tecnologia e a globalização. Definimos as macrotendências como mudanças prolongadas e em grande escala, que afetam os interesses ou estilo de vida do usuário no âmbito econômico, cultural, humano, tecnológico ou ambiental.

Deflexor foi projetado a partir de seis pares de mudanças globais interligadas que produzem cenários globais para a aplicação do design:

  1. A aceleração da urbanização e o consequente crescimento de novas megacidades – com mais de dez milhões de habitantes – associados à demanda por energias alternativas – especialmente por parte da geração mais jovem de usuários – gera um cenário de aplicação do design chamado Design para o Desenvolvimento Sustentável.
  2. A maior volatilidade dos negócios tradicionais – cada vez mais interligados a nível comercial, financeiro, pessoal e informacional (dados e comunicação) – associada à transferência do poder econômico global da Europa e EUA rumo ao Extremo Oriente, cria um cenário de aplicação do design chamado Design para novos Modelos de Negócio.
  3. A hiperconectividade é a tendência relacionada ao uso de múltiplos meios de comunicação como e-mail, mensagens instantâneas, smartphones, contato interpessoal e serviços de informação web 3.0. Ela está associada à aceleração exponencial do alcance, escala e impacto econômico dos materiais e tecnologias disruptivas. Este par de macrotendências produz um cenário de aplicação do design denominado Design para Meios e Tecnologias Inteligentes.
  4. A tendência de padronização consiste no processo de homogeneização cultural resultante da maior interação entre os indivíduos, mediante um aumento do fluxo internacional de ideias, estilos de vida e culturas. Esta macrotendência associa-se com sua antítese, a personalização, entendida como a crescente necessidade humana de receber comunicações, serviços e produtos personalizados e individuais. Este par gera um cenário de aplicação do design chamado Design para a Diversidade Cultural.
  5. A crise dos sistemas de governo tradicionais é a macrotendência referente à perda de confiança na política e nos políticos convencionais, devido ao aumento no número de mecanismos de comunicação direta e transparente e de gestão pública baseados em plataformas tecnocráticas. Esta macrotendência está também associada com as consequências das mudanças climáticas em escala global, já que seus efeitos agravam a crise dos modelos tradicionais de gestão pública, em virtude dos problemas ecológicos e sociais que provocam. A crise da dívida pública – presente na maioria dos países do mundo – e a escassez de recursos são também fontes de tensão social. Tudo isso fornece um cenário de aplicação do design chamado Design para o Impacto Social.
  6. O envelhecimento da população é a macrotendência que consiste no aumento da expectativa de vida da população mundial, devido às melhorias nos campos da saúde e da qualidade de vida. O envelhecimento da população está associado com o boom demográfico, evidenciado pelas altas taxas de natalidade de áreas específicas do globo, como África e Índia. Este par de macrotendências apresenta um cenário de aplicação do design chamado Design Centrado no Ser Humano ou Human Centered Design.

O mapa de macrotendências Deflexor é uma bússola dinâmica e também pode servir como metodologia para promover e aplicar o uso da inovação orientada pelo design em empresas e instituições. Foi concebido para instituições vinculadas ao ensino do design, especialmente para os projetos acadêmicos levados a cabo ao longo dos primeiros quinze anos do IED Barcelona. Por isso, o núcleo do mapa contém os seis departamentos da sede: Moda, Comunicação Visual, Gestão para Indústrias Criativas, Design de Espaços, Transportes e Produto, cursos Master e tailor made.

Entre os projetos acadêmicos criados a partir desta metodologia, destacam-se as seguintes propostas:

SEAT Mergo

SEAT Mergo, serviço de transporte adaptado às necessidades das cidades de 2035. O projeto consiste em um veículo individual de uso compartilhado, que através das zonas de wi-fi da cidade, coleta big data e analisa as demandas dos usuários para conduzi-los aos seus destinos. SEAT Mergo inclui ainda um sistema que permite personalizar o serviço, estabelecendo uma conexão emocional direta com o usuário.

ECO Cyborg Fashion Show

ECO Cyborg Fashion Show, uma performance artística de fashion wearables apresentada no Youth Mobile Festival de Barcelona durante o World Mobile Congress. A performance é composta por nove looks, fabricados com materiais sustentáveis e biodegradáveis, além de elementos luminosos. O design foi elaborado por alunos de design de moda que utilizaram materiais de ponta do setor, como tecidos feitos a partir de impressão 3D, bioplásticos, couro de cogumelos, tecnologias on-body, corte a laser, entre outros.

INDE

INDE, sistema pioneiro que busca evitar fraturas de quadril em idosas, através de um design de roupas inteligente. INDE é composto por uma saia conectada a um sistema autoinflável, que detecta as quedas e protege o quadril antes do impacto com o chão. O projeto foi desenvolvido durante o Challenge Based Innovation (CBI), uma iniciativa promovida pelo IdeaSquare (CERN) em colaboração com as universidades ESADE, UPC e Aalto University.

WORDS

WORDS, instalação interativa na qual as palavras do público se materializam em formas luminosas, de acordo com sua intensidade e duração. As vozes dos participantes ficam registradas na instalação, criando uma composição visual única. O projeto foi apresentado em 2017 durante o Festival Sónar de Barcelona (Sónar+D).

O setor de ensino do design precisa levar em consideração estas 12 macrotendências. Em seus cursos futuros, ele deve ser capaz de contribuir e oferecer soluções para os diferentes cenários, usando metodologias de inovação e design thinking, experiências educativas híbridas (que combinem formação e consultoria para pessoas e empresas), e interações transdisciplinares. Existem diversas formas de aplicar a metodologia do design nestes cenários, seja como uma simples ferramenta estética ou funcional, seja como estratégia, processo holístico, dinamizador do sistema, transformador de um estilo de vida ou como interface de comunicação.

O mapa Deflexor pode ser usado até mesmo por startups. Uma nova iniciativa empresarial deve representar um compromisso com o futuro que satisfaça as atuais necessidades e desejos dos clientes, e que seja capaz de antecipá-los. A inovação orientada pelo design e pelas macrotendências pode ser uma ferramenta mais efetiva para que a inteligência coletiva em insights de futuros usuários seja mais compreensível.

 

O mapa Deflexor apresenta, por último, uma constelação de diferentes microtendências, divididas nas áreas tecnológica, ambiental, social, mercadológica, cultural e de comportamento humano. Os exemplos de microtendências podem ser considerados como oportunidades de progresso, ou questões a serem solucionadas por meio das metodologias de ensino do design.

Essas tendências são apenas uma mostra da complexidade da produção de conhecimento no mundo que habitamos.

Autor: Alessandro Manetti

Descargar Mapa Deflexor 2033 Descargar documentação PDF