—>
Carregando Carregando

A formação e a rede sociocultural, um diálogo constante

  • IEDentity
  • "Urban entrepreneurship ecosystem"
  • Número 05 - 9 de julho de 2018
Filippo Nardozza
  • Filippo Nardozza

A Escola de Comunicação Visual do IED Milão sempre dedicou uma atenção ética especial à comunicação por meio de imagens; atenção de quem experimenta, de muitos modos - e também por meio da arte -, o papel de comunicador social.

 

Na Escola de Comunicação Visual do IED Milão sempre se pensou que o confronto estabelecido com o território que nos envolve seria na verdade um diálogo. Essa ideia caracteriza o tipo de formação oferecida aos estudantes. Para isso, junto aos vários projetos pessoais e àqueles realizados com empresas, se concedeu grande espaço a iniciativas com instituições culturais, o mundo das associações, o terceiro setor e operador sociossanitário. Trata-se de um diálogo com o tecido urbano, regional, macrorregional, que se transformou no decorrer dos anos em um tipo de ecossistema próprio.

Os projetos com o Teatro Grande di Brescia, o Piccolo Teatro di Milano, os Teatri Fondazione di Reggio Emilia e a Società del Quartetto; o nascimento da incubadora de eventos musicais, de arte e de design Elita; a longa colaboração com a A.I.A.C.E (Associação Italiana Amigos do Cinema de Ensaio); os projetos com o Noir in Festival di Courmayeur e aqueles em conjunto com os muitos festivais dedicados às artes visuais na Lombardia e na Itália demonstram como no decorrer dos anos a Escola sempre teceu rede com as instituições culturais do território.

O caso da colaboração com A.I.A.C.E é particularmente significativo. A conexão estabelecida desde 2007 – que se manifestou na INVIDEO (mostra internacional de vídeo e cinema, referência para toda a produção audiovisual relacionada à arte eletrônica e às novas tecnologias) com a presença de grandes protagonistas do audiovisual mundial em masterclasses no IED – perdurou em uma relação contínua para a promoção da cultura no território. Consequência disso é a presença constante da Escola de Comunicação Visual em cenários icônicos da vida cultural milanesa, como a Fabbrica del Vapore no Salone del Mobile. A participação do IED Artes Visuais se deu por meio de videoinstalações e instalações interativas assinadas por estudantes em mostras não só de caráter estético, mas frequentemente relacionadas a temas ambientais e à sustentabilidade (in_equilibrio em 2010; in_sensibile em 2011; in_itinere em 2012; urban_seeds em 2013, in_sostenibile em 2014; borders em 2016).

 

Também o trabalho para o espetáculo Il Sogno di una cosa (O sonho de uma coisa) – concebido em 2014 para lembrar os 40 anos do atentado da Piazza della Loggia, em Brescia – mobilizou a Escola na produção de contribuições visuais à peça e do live video durante as apresentações. Essa foi uma grande oportunidade de colaboração no triângulo cultural que se forma entre Brescia, Reggio Emilia e Milão (a ópera era coproduzida pelo Teatro Grande, pelos Teatros Fondazione e pelo Piccolo Teatro), na qual a sensibilidade artística e as capacidades técnicas dos estudantes puderam se colocar a serviço da memória e da história nacional.

Outro caso é o diálogo com os promotores públicos de saúde e do bem-estar a 360 graus.

Com a ATS – Azienda per la Tutela della salute della Città Metropolitana di Milano (empresa de saúde pública de Milão) – a relação é de troca contínua desde 2001, permitindo à Escola de Comunicação Visual e aos estudantes contribuírem difundindo – criativamente – informações de sensibilização e prevenção. Foram realizadas campanhas de vídeo (também usando a impressora digital 3D) sobre a prevenção ao uso excessivo do álcool e de substâncias ilícitas nas noites e nas festas, além de um app contra o uso de drogas. “Bottle Bag” é uma campanha para incentivar o consumo de álcool responsável para o público de enotecas – foi feito também um protótipo que possibilita levar para casa as meias garrafas de vinho não terminadas pelo cliente. Outros frutos da colaboração do IED com a ATS foram materiais informativos para a conscientização corporal e para a prevenção dos incidentes domésticos.

Principalmente focando o target jovem, foi de grande impacto a campanha gráfica “It’s 4 you”, realizada por jovens ilustradores do IED Milão para a Società Italiana delle Cure Primarie Pediatriche, sempre em colaboração com ATS, com o objetivo de promover a importância da vacina contra HPV na prevenção do contágio do Human papillomavirus. Nesse mesmo caminho, foi rica a colaboração – com projetos de conclusão de curso e projetos especiais – entre a Escola de Comunicação Visual IED e o SVS Donna Aiuta Donna em diversas campanhas de comunicação visual para a sensibilização de temas sobre violência e violência contra a mulher, com ilustrações que permitiram exprimir em chave poética e narrativa os ciclos viciosos que levam à gradação da violência de gênero, tão difícil de interromper.

O projeto La Valigia dei Ricordi (A mala de recordações) também merece menção: trata-se de uma videoinstalação interativa composta por uma mala e por fotos, um laboratório móvel para os care givers de vítimas de Alzheimer. Uma mala falante feita de fotos instantâneas em preto e branco conta e reconta as histórias dos protagonistas. Foi da necessidade reconhecida pela Cooperativa Paloma 2000 – aqueles que se ocupam a dar assistência aos que vivem condições de desabilidade – que o projeto nasceu; a elaboração da resposta criativa da Escola de Comunicação Visual do IED Milão aconteceu em laboratórios no centro diurno integrado milanês I Delfini.

E o diálogo sinérgico continua: no fluxo de uma colaboração produtiva com a ATS Milão (que concebeu e desenvolveu o SocialMi, network que os conecta aos jovens que participam de seus programas de promoção de saúde, de prevenção e de educação), o IED Artes Visuais convidou alguns jovens aspirantes a programadores a se desafiarem em um hackathon para a concepção de um app  que promovesse o bem-estar digital a 360 graus.

Autores: Rossella Bertolazzi e Filippo Nardozza