—>
Carregando Carregando

Dandy Couture

  • IEDentity
  • "Around the World"
  • Número 07 - 15 de novembro de 2018
Dominique Barbieri
  • Dominique Barbieri

No Pitti Filati, no dia 28 de junho de 2018, o IED, a Universidad Anáhuac e o RACU Raíces Culturales lançaram o projeto Dandy Couture. Trata-se de uma coleção de outfits, concebidos pelos estudantes das duas universidades, com tecidos tradicionais das regiões de Oaxaca, no México. A programação incluiu também uma masterclass sobre os tecidos mexicanos e seu emprego no fashion design contemporâneo, ministrada por Blanche Helene Toffel Quiñones, coordenadora da Escola de Moda, Inovação e Tendência da Universidad Anáhuac México, e por Giovanni Ottonello, diretor de arte do IED, com a presença de um representante da organização RACU.

Dandy Couture é um projeto interuniversitário que envolveu o IED – Istituto Europeo di Design, com seu departamento de Fashion Design das sedes de Roma e de Florença, e a Universidad de Anáhuac, com o departamento de Licenciatura em Moda, Inovação e Tendência. O projeto teve a colaboração de RACURaícez Culturales e grupos de artesãos de Oaxaca (Quiaviní, Mujeres Unidas de Teotitlán del Valle, Seda Bienhi e Nytko Nañi), contando com o patrocínio da embaixada e do consulado do México na Itália.

Tendo como ponto de partida a participação dos mestres tecelões da região mexicana de Oaxaca e da associação RACU – Raíces Culturales, que representa grupos de artesãos locais, um desafio foi colocado aos estudantes do IED e da Universidade de Anáhuac: tentar reinterpretar os tecidos tradicionais mexicanos de acordo com o gosto dos consumidores italianos atuais, se atendo também ao fascínio e à identidade estilística do dandy. Cada participante compôs um mood board capaz de explicar a sua ideia de “dandy couture” junto com uma coleção de diversos looks, acompanhada por uma amostragem das cores e dos tecidos utilizados.

 

“É um projeto que quer misturar mundo diferentes: o tecido mexicano Oaxaca, feito por mãos cheias de conhecimento, com a estética própria de seus vilarejos originários, o olhar de jovens designers e, além disso, o tema, que traz um estilo específico datado de 1820. Elegância, artesanato, contaminação, extravagância, esnobismo são algumas palavras que poderiam ser usadas para descrever este novo desafio de design, enfrentado conjuntamente pelos alunos do IED e de Anáhuac” (Giovanni Ottonello – diretor de arte do IED).

Para celebrar a nomeação da Cidade do México como World Design Capital 2018, o IED e a Universidad de Anáhuac uniram as suas experiências de longa data no campo da design education e o entusiasmo de seus jovens talentos para dar vida a um projeto de moda inovador e socialmente sustentável.

“O desafio não está ligado só à pesquisa criativa e ao desenvolvimento de projetos, se torna, no entanto, uma etapa real e fundamental, que permitirá aos estudantes conhecerem com seus próprios olhos o mundo, questionando e reinterpretando-o. Além disso, a ocasião servirá como oportunidade para testemunhar, com entusiasmo e profissionalismo, o interesse e o envolvimento demonstrado na participação desta viagem” (Andrea Tosi - International Academic Relations IED)

Autora: Dominique Barbieri