—>
Carregando Carregando

O Bootcamp do MIT desembarcou na praia da Urca

  • IEDentity
  • "Around the World"
  • Número 07 - 15 de novembro de 2018
Roberta de Freitas
  • Roberta de Freitas

O Bootcamp do MIT desembarcou na praia da Urca, no IED Rio. Antes disso, os alunos do MIT puderam participar do Rio Entrepreneurship & Innovation Trek, curso imersivo de três dias na cidade do Rio de Janeiro, organizado pelo IED Rio.

Três dias para se guardar bem na memória. Experiência quase obrigatória para todos que querem aprender com a cultura carioca. O Trek do MIT explorou como a cidade mais icônica do brasil enfrenta seus altos e baixos com muita criatividade e resiliência.

Logo no primeiro dia do Trek, os alunos puderam entender bem esse conceito e como a espontaneidade carioca empreende ideias de negócio nas mais variadas instâncias da Cidade Maravilhosa. Visitamos a praia de Ipanema, eterna queridinha da bossa nova, mas também praça pública, e aberta a todo tipo de iniciativa empreendedora. Lá, assistimos a uma palestra da Wet Works, sobre a indústria do surfe, e de como esta atividade é encarada como business e oportunidade de criar negócios locais. Conversamos com Oskar Metsavaht, criador da marca Osklen, e visitamos a fábrica da FARM, empresa que surgiu bem pequena na Feira de Ipanema e que agora ganhou todo o país.

Os cariocas inovam o conceito de business e conquistam o mundo

No segundo dia, a experiência foi histórica. Absorver como o processo de desenvolvimento e urbanização foi determinante para a ocupação do solo urbano e de sua consequente diversidade cultural. Foi um dia com muitas caminhadas pelo Porto Maravilha, novo ícone da modernização carioca. Visitamos o Museu do Amanhã, o Boulevard Olímpico, o Cais do Valongo, ao lado do arquiteto e urbanista Washington Fajardo, que prontamente nos explicava cada detalhe da cidade. Através da história podemos entender como a carioquice nasceu, desde o surgimento da primeira favela, no Morro da Providência aos dias atuais.

A ocupação urbana diz muito sobre como a nossa cultura se desenvolveu

No terceiro e último dia do Trek, o assunto foi música. A primeira visita à gravadora Som Livre, com o superinteressante papo sobre como a indústria fonográfica se reinventou em tempos modernos e digitais. Marcelo Soares, CEO da empresa, nos deu uma aula sobre o mercado brasileiro da música, com todos os seus melhores destaques.

Em seguida foi a vez do estudo de caso do Rock in Rio, que dispensa maiores apresentações, mesmo no âmbito mundial. Aprendemos sobre marketing, sobre a divulgação do empreendimento, e como foi construir uma marca tão forte que atravessou o oceano e foi fazer história na “terrinha”, como os brasileiros carinhosamente chamam Portugal.

O terceiro dia do Trek teve também visita ao Maracanã, porque ninguém pode visitar o Rio e não conhecer o “Maraca”. O Trek terminou seus momentos na Cidade do Samba, com o estudo de caso de ninguém menos que a Escola Primeira da Mangueira. Os alunos puderam ver e entender bem de pertinho como funciona a indústria do carnaval carioca.

Dito tudo isso, resta acrescentar que o Trek foi uma experiência única, tanto para os alunos do MIT como para nós do IED Rio. Todos ganharam com a troca de experiências e do desenvolvimento do Bootcamp, ocorrido em seguida.

Vamos abraçar a interdisciplinaridade e o network. Vamos construir pontes daqui para todos os cantos do mundo. O IED Rio está inserido no mundo e também o contém.

Autora: Roberta Freitas