—>
Carregando Carregando

A inovação e o saber facer na internacionalização das empresas

  • IEDentity
  • "IED Trends 2019"
  • Número 08 - 8 de janeiro de 2019
Michele Mandaglio
  • Michele Mandaglio

Empenhada em promover a inserção no mercado estrangeiro e a internacionalização das empresas, a agência ICE escolheu o IED como vitrine para falar ao mundo do Made in Italy, colocando a inovação e o saber fazer italianos no centro das atenções.

Entre os dias 02 e 06 de novembro passado, hospedamos a Italian Techonology Award, um projeto que contou com a participação de 60 estudantes, entre os de nosso curso de Furniture Design, doutorandos e profissionais vindos de mais de 15 países diferentes, como Canadá, China, Irã, México, Sultanato de Omã, Romênia, Rússia, Estados Unidos, Uzbequistão e Vietnã. 

O evento foi organizado em conjunto com a ICE, agência para a divulgação de empresas italianas no exterior e promoção da internacionalização, organismo através do qual o governo italiano incentiva o estabelecimento e o desenvolvimento econômico e comercial das empresas italianas nos mercados estrangeiros. Além disso, a agência é responsável por atrair os investimentos estrangeiros para a Itália.

A iniciativa foi apoiada pela Federmacchine e pelos mais variados setores: têxtil, de couro, de plástico, de embalagens, de vidro, cerâmica e transformação alimentar. Ao visitarem a Itália, os profissionais desta rede podem se tornar embaixadores do nosso país e do território de Como, divulgando as nossas iniciativas.

Para a produção de tecido e de móveis de madeira, a exportação é fundamental, ou seja, a fama italiana no mundo promove a venda de produtos de alta qualidade em países bastante distantes. Não é à toa que a ICE também se ocupa da formação de jovens talentos para divulgar as nossas marcas nos mercados estrangeiros.

Ao final do evento na Villa del Grumello, os participantes visitaram as empresas envolvidas. ComoNext apresentou a história de três novas iniciativas: Sensecatch, que estuda as emoções e as preferências íntimas das pessoas para vender desejos e bens de consumo com mais facilidade; Fitobiotech, que, com o uso de drones e sem produtos químicos, quer eliminar parasitas como as lagartas do pinheiro; e a Silk Biomaterials, que empregando a seda, desenvolve, com uma tecnologia inovadora, dispositivos médicos para a medicina regenerativa.

Autor: Michele Mandaglio