—>
Carregando Carregando

Os desafios do mundo profissional

  • IEDentity
  • "Design (r)evolution"
  • Número 09 - 6 de março de 2019
Rosa Moreno Laorga
  • Rosa Moreno Laorga

O primeiro desafio para um designer é começar a trabalhar. Graças aos nossos ex-alunos, lemos relatos de suas experiências na hora de dar esse importante passo. Este é um artigo imprescindível para aqueles estudantes que estão a ponto de concluir sua formação e com disposição para dar um grande salto.

Davide Gramatica

Se existe um momento-chave na vida profissional de um designer, este é sem dúvida a sua entrada no mundo do trabalho. Trata-se do momento de colocar em prática o que foi aprendido e usar o design para gerar respostas e perguntas dentro de um contexto frenético, marcado por contínuas transformações. Os fatores que podem condicionar o sucesso na hora de abordar nossas metas passam por uma boa análise do contexto e de nossas capacidades, além de uma visão criativa bem diferenciada.

Jaime Álvarez, designer e criador da Mans Concept Menswear, é pragmático ao afirmar: “Creio que o fundamental é tentar conciliar sua proposta criativa inédita com uma gestão realista, com os pés no chão”. Sheila Casado, designer de moda e cofundadora de Serge David, também destaca a importância de refletir bem quando este momento chega: “É preciso ser paciente, constante e ter muito claro que tipo de designer você é e com que tipo de empresa você crê que a sua visão se encaixa. No mundo do trabalho, tudo é muito diferente, especialmente a forma através da qual se desenvolvem e se executam as ideias”. 

Italo Marseglia, que compartilha a mesma profissão de Jaime e Sheila no mundo da moda, analisa este passo em direção ao mundo profissional: “Quando nos deparamos com o mercado de trabalho pela primeira vez, estamos cheios de energia e desejo de colocar a mão na massa, achamos que estamos formados e prontos. A verdade é que começamos a aprender as lições mais importantes justamente nos confrontando com as tarefas do trabalho, colocando em prática o que a formação nos ensinou. O meu conselho é manter os olhos bem abertos para poder aprender o máximo possível e, principalmente, ser humilde e saber ouvir o outro”.

 

Mayra Sasso

Matteo Guarnaccia

Para Davide Gramatica, designer industrial, “mudar de trabalho com alguma frequência, principalmente na fase posterior ao estudo, é fundamental, já que é bom mudar de ares uma vez que você tenha aproveitado tudo aquilo que pode lhe oferecer uma experiência, isto nos torna mais flexíveis”. Flexibilidade também é uma qualidade imprescindível para Barbara Caranza, designer especializada em restauração e proteção de bens culturais, que também aconselha aprofundar os estudos em cursos de pós-graduação e a se especializar, além de adquirir experiência profissional no exterior.

Carlotta Dasso, designer de joias, nos convida a observar o contexto: “No caos de um mercado de trabalho no qual a exigência é alta, é necessário que sejamos fortes em nossas habilidades e que saibamos que o talento não é uma qualidade suficiente, já que deve estar respaldado pelo conhecimento, pela atualização contínua e pelo amor pelo trabalho”.

Como podemos observar, os conselhos de nossos ex-alunos nos demonstram a importância de adotar uma atitude prudente, embora decidida e dinâmica. Niccolò Bonanni, designer especializado em mobilidade, enfatiza a grande oportunidade que a aprendizagem oferece, neste momento da carreira do jovem designer: “Fazer parte de uma nova realidade profissional permite que você se envolva de imediato com profissionais que estão há anos desempenhando aquela atividade, aprendendo muito com eles. É importante valorizar os conselhos e as críticas daqueles que têm mais experiência; sempre com humildade e, sobretudo, curiosidade”.

Italo Marseglia

A vertigem provocada pela mudança constante é objeto de análise para Mayra Sasso, designer especializada em desenvolvimento digital e UX: “Aproveite! Estamos vivendo uma era de mudança. Tudo está sendo reinventado e o papel do designer é central (…). Não se assuste com os movimentos do mundo atual (…), resiliência é uma qualidade fundamental neste trabalho”.

Fernanda Carminate, arquiteta e designer de interiores, sócia da PKB Arquitetura, aconselha aos novos designers no campo da criatividade que eles “devem se interessar por tudo, e buscar ver o mundo a partir de diversos pontos de vista, entendendo que qualquer aspecto cotidiano pode ser uma grande fonte de inspiração para quem tem um olhar sensível”. E Carlotta Dasso sublinha a importância do talento e entusiasmo dos novos designers: “As novas gerações de jovens designers são um tesouro de ideias, projetos e sonhos e devem lutar pelo futuro”.

No mesmo sentido, Matteo Guarnaccia, designer especializado em fabricação digital, é muito direto em seu conselho para os novos designers: “Não siga exatamente aquilo que querem que você faça, expresse a sua inteligência e coloque uma meta. Fazer algo novo, isso sim, tem sentido. Projete menos e você projetará melhor”.

Determinação, flexibilidade, criatividade e principalmente uma atitude permeável a todo tipo de aprendizado são as qualidades que valorizam nossos ex-alunos, hoje destaques profissionais no campo do design. Em IEDentity, prestamos atenção no que eles têm a dizer, pois sua experiência pode ajudar todos os nossos atuais alunos e também os que ainda estão por vir.

O primeiro passo da vida profissional é um grande salto na carreira de todo designer e, com estes testemunhos, podemos nos aproximar desta experiência de modo enriquecedor e real.

Autora: Rosa Moreno Laorga

Foto de capa: Sandra Rueda, Lara Docampo

 

IED Milão

www.caradavide.com

Davide Gramatica

 

IED São Paulo

Projetos

Mayra Sasso

 

IED Barcelona

www.matteoguarnaccia.com

Matteo Guarnaccia

 

IED Roma

Italo Marseglia

Italo Marseglia