—>
Carregando Carregando

Being Cool is Nothing New: IED Milão no topo da reutilização criativa

  • IEDentity
  • "Under Pressure: uma metamorfose"
  • Número 10 - 7 de maio de 2019
Filippo Nardozza
  • Filippo Nardozza

Um projeto especial, desenvolvido com a mais ampla multidisciplinaridade, para educar as novas gerações sobre o consumo consciente (graças também à formação entre pares), sobre a reutilização e sobre o seu valor comunicativo, criativo, sustentável e econômico em todos os âmbitos, de acordo o movimento Fashion Revolution, de Orsola de Castro.

Por que os jovens preferem a fast fashion? Como fazer para que eles conheçam e apreciem peças usadas? Pode ser cool (além de sustentável) reutilizar e reinventar? As roupas de segunda mão podem ser cool? E, ainda (mais concretamente), o que é desperdiçado no IED do ponto de vista projetual e como podemos reutilizar esses materiais?

Estas são as perguntas importantes que estão orientando o projeto especial Being Cool Is Nothing New, recentemente lançado no IED Milão em colaboração com Orsola de Castro, que, junto com Carry Somers, fundou a campanha global de comunicação e formação Fashion Revolution.

Trata-se de um projeto educacional multidisciplinar sobre a reutilização criativa, que envolverá os estudantes de vários cursos – Design de Mídia e Som, Fotografia, Fashion Stylist & Communication, Fashion Marketing e Fashion Design, Design de Interiores e de Produto, Design de Comunicação – com o foco de sensibilizar as novas gerações sobre a sustentabilidade.

A proposta é a customização, a reutilização criativa de peças de modo transversal (roupas, objetos, acessórios, materiais) como alternativa ao “novo pelo novo”, à compra contínua de novas peças e objetos (frequentemente de baixa qualidade) com o consequente desperdício de recursos, aumento de descarte e aprovação social.

Portanto, nesse projeto há muito o que fazer a respeito das técnicas de reutilização e da utilização de materiais reinventados, como provas com câmaras escuras da fotografia, tecidos e fios descartados, protótipos produzidos por estudantes e assim por diante.

No outono, o projeto contará com um grande evento no IED Milão, em que serão apresentados os outputs de produtos. Nessa ocasião, os estudantes também transmitirão o saber fazer adquirido –em workshops experimentais– aos seus colegas e a alunos do ensino médio, focando assim na importância e na função de responsabilização da formação entre pares.

O planejamento e a preparação do evento em si, além dos produtos, farão parte do projeto Being Cool Is Nothing New, abrangendo todos os estudantes que o IED pretende formar. Para tanto, depois de uma primeira fase de pesquisa e de definição do cenário, os estudantes foram subdivididos em grupos de trabalho que se responsabilizaram pelos vários aspectos do evento (cenografia e instalações de vídeo/som/mídia; conteúdo dos workshops; materiais visuais e fanzines; design e customização de peças e acessórios; comunicação) sempre em uma perspectiva de reutilização.

O foco do evento será, portanto, a importância de comprar em segunda mão (também nas charity shops), de transformar, consertar e personalizar as peças para que nos tornemos verdadeiros consumer-traders, aprendendo a pensar criativamente, de modo consciente e a longo prazo sobre as nossas escolhas de consumo e sobre o que usamos.

“Para seduzir e inspirar as novas gerações a mudarem a forma de consumo e o estilo para uma moda mais sustentável, é necessária uma abordagem corajosa e irreverente, e o IED é um ponto de partida crucial para falar de sustentabilidade em uma perspectiva criativa. A moda pode transformar o mundo, se começarmos pelos estudantes”, declarou Orsola de Castro no final de janeiro, no evento IED Moda Milão, durante o lançamento de Being Cool Is Nothing New. “Estou animada por continuar este projeto com os estudantes e os professores do IED”.

Autor: Filippo Nardozza