—>
Carregando Carregando

Turbinando o futuro da mobilidade em Barcelona

  • IEDentity
  • "Nomadismos"
  • Número 11 - 1 de julho de 2019
Albert Elias Valcorba
  • Albert Elias Valcorba

Começar uma escola do zero não é uma tarefa fácil. Barcelona era, em 2002, uma cidade com uma grande tradição criativa e de design. Como oferecer uma formação de qualidade e inovadora no design? Quais eram as verdadeiras necessidades da cidade? De que forma o design poderia ajudar no desenvolvimento de Barcelona para que ela se convertesse em uma cidade inteligente?

A cidade estava aberta a conhecer novos sistemas que pudessem melhorar sua qualidade de vida e garantir sua posição de referência mundial, sem danificar seu valioso entorno natural. Barcelona estava preparada para acolher uma metodologia disruptiva e uma cultura de projeto que desafiasse as ideias preestabelecidas do design. Desde então, o IED Barcelona não parou de crescer e crescer.

Alessandro Manetti, diretor do IED Barcelona, sabia que era necessário se diferenciar. Assim, com sua experiência no IED Turim e no IED Milão, viu a necessidade de oferecer um curso único no território espanhol:  Formação Profissional Superior em Design de Transporte. O entorno da cidade, que é rodeada pelo mar, pela montanha de Collserola e os rios Besós e Llobregat em seus extremos, sensibilizou os cidadãos barcelonenses para o crescimento de uma cidade sustentável sem prejudicar o meio ambiente. Havia trabalho e oportunidades de pesquisa, e a mobilidade era a chave.  

“Desde 1992, com as Olimpíadas, Barcelona se viu obrigada a otimizar ao máximo seus recursos a partir da perspectiva da mobilidade”, explica Alessandro Manetti. “No momento em que começamos a trabalhar conjuntamente com a cidade, instituições e empresas, apareceram muitas propostas que iam muito além do carro como veículo de transporte clássico”, continua. Por esse motivo, a escola se destacou buscando meios alternativos para investigar e projetando soluções que fossem capazes de criar uma mudança significativa para a cidade: barcos, trens, transporte público, táxis e ainda sistemas modulares para fomentar a micromobilidade.  

“As macrotendências já nos assinalam a importância de mudar o conceito de mobilidade convencional em direção a uma mobilidade mais sistêmica. Entender o design de transporte como o design da mobilidade e ver todas as suas implicações com o entorno era indispensável”, aponta Manetti. Ao longo dos anos foram desenvolvidas propostas que, agora, são uma realidade: sistemas de condução compartilhados, novas paradas de transporte público, veículos elétricos ou motocicletas urbanas.  

“Devemos estudar a mobilidade sob uma perspectiva de design circular. Nos próximos anos continuará sendo extremamente importante um desenvolvimento sustentável, não apenas energeticamente, mas também funcionalmente. A mobilidade deverá estar a serviço das necessidades de sua população”, argumenta Alessandro Manetti.  

Aqui estão alguns dos exemplos de projetos realizados na escola ao longo desses anos e que já antecipavam como seria o desenvolvimento da mobilidade nas cidades inteligentes:

Cliente: Alstrom

Projeto: Espiral

Aluno de graduação: Rodolfo Ciudad

Junto com Alstrom, o projeto busca definir conceitos futuros e temas de inovação para os novos bondes de Barcelona, propondo soluções novas para interiores e exteriores. O objetivo é pensar e criar um veículo cômodo e modular que se adapte às diferentes exigências de cada usuário. Espiral provoca, ao se mover, sensações de calma e placidez, contrapondo-se ao estresse e às tensões próprias das grandes cidades.

Cliente: Bertone

Projeto: Påsprång

Alunos de graduação: Alessandra Colella (Design de Produto) e Sanna Völker (Design de Produto)

Påsprång é um projeto que investiga novos conceitos de mobilidade do futuro para a empresa Bertone. Trata-se de um veículo desenvolvido para um usuário jovem e nômade do ano 2025. Seu funcionamento teria como base uma bateria de grafeno situada no assento e que pode ser transportada em forma de mochila, carregada como um dispositivo móvel. O projeto envolve um co-branding com uma empresa de mobiliário que oferece a possibilidade de devolução do veículo quando o usuário já não precisar mais dele. Depois de reformar o produto, a empresa poderia colocá-lo novamente à venda para outro usuário.

Cliente: Formula Student Spain

Projeto: E-Tech

Aluno de graduação: Mariano Suñé (Design de Transportes Design)

Design do interior e do exterior do veículo E-Tech da Formula Student Spain 2015 em colaboração com a Escola Universitária de Engenharia Técnica Industrial de Barcelona (EUETIB), da Universidade Politécnica da Catalunha. Para o design, foi utilizado um software de última geração que permitiu realizar simulações em tempo real, incrementar os coeficientes aerodinâmicos e melhorar a performance do veículo na pista.  

Cliente: Seat

Projeto: Mergo

Alunos de graduação: Christoph Sokol (Design de Transporte)

Seat planeja encontrar uma solução para os principais problemas atuais de mobilidade individual nas grandes cidades. Mergo é um veículo inteligente e compartilhado que funciona de acordo com as necessidades de cada usuário através da compilação de Big Data. O próprio transporte analisa a demanda do usuário e o leva ao destino que desejar. Além disso, o veículo contém um sistema integrado que permite personalizar o seu serviço e estabelece uma conexão emocional com o usuário.

Cliente:  Volta Motorbikes

Projeto: Volta EV-1

Alunos de graduação: Guillem Galiano, Oliver Pecharromán e Eduardo Lorca

Volta motorbikes é uma jovem empresa que aposta nas motos elétricas como modelo de transporte e acredita nos valores do design, do esporte e das emoções. Volta EV-1 oferece soluções aos problemas de mobilidade na cidade, afastando-se do modelo scooter e se diferenciando da oferta atual neste novo setor. O design combina dinamismo e agilidade. Destaca-se pelo uso de energias sustentáveis, assim como pela comodidade e economia do produto.

Autor: Albert Elias Vallcorba